EARTHQUAKE DETECTOR

PERFORMANCE AUDIOVISUAL

O detector de terramotos (earthquake detector) não é uma ideia minha. Alguém disse a frase e eu, por via de apropriação, dei-lhe novos significados. A audiência talvez encontre algo escutado, dito, visto anteriormente. Por fim, acrescentarei, que utilizei, no processo, uma técnica de colagem de livre combinação (de textos, filmes, música, conversas com pessoas conhecidas e desconhecidas, na rua, no café, pelo Skype e email, bem como conferências sobre ufologia, tecnologia e consciência e ainda numa visita ao veterinário).”
Ana Carvalho

O ponto de partida para Systematic Illusion, entendida como uma série de performances resultante de colaborações com artistas sonoros, é a partitura audiovisual intitulada Systematic Illusion – The Subtle Technique in an Earthquake Detector Construction. Cada artista sonoro, ou grupo de artistas, é convidado a interpretar a partitura e, a partir desta, contribuir para uma performance única. O elemento vídeo está em permanente mutação em resposta a cada novo lugar, performance e a cada nova colaboração.
As capturas visuais foram efectuadas na Cornualha, Reino Unido, e em Portugal. O som é construído a partir de palavras. O conjunto conduz à poética da paisagem, de lugar e de identidade que emerge durante a performance.

SONY DSCSystematic Illusion – captura do écran

APRESENTAÇÕES

Junho 2013
com Maile Colbert
documentação: https://vimeo.com/73002471
apresentado em: Arranjos Experimentais Cultura Numérica Audiovisual (http://www2.eca.usp.br/laica/home)
Paço das Artes (http://www.pacodasartes.org.br)
patrocinado por: Universidade de São Paulo (http://www5.usp.br)
São Paulo, Brasil

Novembro 2012
com Ben Owen
documentação: https://vimeo.com/63311609
apresentado em: OptoSonic Tea (http://www.diapasongallery.org/optosonic.html)
curadoria de: Kathrine Liberovskaya e Ursula Scher
Experimental Intermedia (http://www.experimentalintermedia.org)
NYC, USA

Outubro 2012
com: Jeremy Slater
apresentado em: Space on White ()
NYC, USA

NOTA – Ambas as performances, com Ben Owen e com Jeremy Slater foram possíveis através da Bolsa Ernesto Sousa 2012.

Outubro 2011
com voz por Ana Carvalho
apresentado em The Exchange Gallery
Penzance, Cornwall, UK.
comissariado para o projecto de curadoria experimental: Decalcomania Project (http://decalcomaniaproject.wordpress.com)
patrocinado por Fundação Calouste Gulbenkian (http://www.gulbenkian.pt)

earthquake 1Fotografia – João Gabriel Gulman Rodrigues

Ana Carvalho  é artista Intermédia, compõe e faz performance com vídeo.
As imagens do seu trabalho videográfico performativo traduzem a incessante e permanente procura, pela multitude “Naturopolifónica” através das cores e das formas, a relação entre o microscópico e o cósmico, entre a unidade e o indistinto estrelar ruidoso.
Artista vencedora do prémio Bolsa Ernesto Sousa 2012, com a duração de três meses, em Nova Iorque (Bolsa co-financiada pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e pela Fundação Calouste Gulbenkian). Trabalha em ambientes colaborativos com artistas de várias áreas mas especialmente artistas sonoros, entre eles: Andrea Parkins  (EUA), Ben Owen (EUA), Brendan Byrne  (UK), Maile Colbert  (EUA / PT) e João Ricardo  (PT). Apresentou as suas performances no Experimental Intermedia Foundation  (Nova Iorque), Vision’R Festival (Paris), Arranjos Experimentais  (São Paulo) e Decalcomania Curatorial ProjectNewlyn Gallery  (UK), entre outros. Desenvolve projectos que descrevem interacções, de onde surgem combinações narrativas entre a ficção e a realidade e que reflectem o processo como prática artística.
A sua tese de doutoramento tem o título “A materialidade do Efémero: Identidade da performance Audiovisual ao Vivo e a Possibilidade de Documentação e Construção de Memória”. Ana Carvalho é também professora no ISMAI e investigadora responsável pelo projecto Ephemeral Expanded  (desde 2014) e pelo co-responsável pelo projecto VJ Theory  (de 2006 a 2009). Co-editora do livro “VJam Theory: Collective Writings on Realtime Visual Performance” (realtime books). Co-organizadora dos eventos Abertura  (Lisboa). Como investigadora, os seus interesses concentram-se na relação entre Efémero e Documento do ponto de vista do artista e como parte inclusa do processo criativo.
Apresentou resultados da sua investigação em conferências e festivais, dos quais se destacam:Perform.Media  (Bloomington Indiana University), GLOB ART Perspectives Symposium (Munique), Open Research Panel: Live Cinema  (Camberwell Chelsea Wimbledon, University of the Arts London), Besides the Screen (Goldsmith College) e Arranjos Experimentais (Universidade de São Paulo). Artigos publicados em diversas revistas. Escreve regularmente para a publicação online Digicult, (Itália).

Arranjos Experimentais – Paço das Artes
São Paulo, 22 Junho de 2013

 Visual Agency – Página sobre a performance
http://cargocollective.com/visual-agency/Performance-series-Earthquake-Detector

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s